Información
Equipo Nizkor
        Tienda | Donaciones online
Derechos | Equipo Nizkor       

25jan18


Condenação pode aprofundar enfrentamento, diz cientista político


A condenação em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta quarta-feira (24), pode aprofundar ainda mais o quadro de divergência política no Brasil, embora seu impacto na eleição presidencial seja ainda impreciso. Essa á a opinião do cientista político Fábio Wanderley Reis, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

"Poderemos observar a intensificação do quadro de tumulto e polarização e enfrentamento político", avaliou. "Mas o impacto eleitoral da decisão é ainda incerto." Segundo o professor, Lula e o PT devem explorar ainda mais intensivamente o que chamam de perseguição política ao seu maior líder, numa manobra jurídica com vistas a tirá-lo da disputa das eleições presidenciais de outubro próximo. "Essa intensificação da mobilização, da militância poderá, ao fim, até ser bem-sucedida."

"É mais fácil alguém com as raízes do Lula ser condenado"

Para Reis, há motivo para Lula e o PT se sentirem perseguidos. "Do ponto de vista judicial, [o processo] é muito problemático. É muito fácil ligar a condenação a aspectos sociológicos. O cientista político frisa que a Justiça brasileira tem um histórico de decisões de caráter elitista, preservando seus pares e punindo pessoas de origem popular, como a de Lula, aponta. "Condena-se à prisão um ex-presidente pela primeira vez no Brasil e, não por acaso, de origem popular. Isso não é irrelevante no quadro social, dada a desigualdade que existe no Brasil. É mais fácil alguém com as raízes do Lula ser condenado."

Nesta quarta, a 8 Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4 Região), que tem sede em Porto Alegre, confirmou, por unanimidade (3 a 0), a sentença proferida pelo juiz Sergio Moro na primeira instância e ainda ampliou a pena de Lula, por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, para 12 anos e 1 mês de prisão (a princípio, em regime fechado).

Com a decisão da Turma, o petista, líder em todas as pesquisas de intenção de voto, cai na Lei da Ficha Limpa e pode ser impedido de disputar a eleição presidencial, marcada para 7 de outubro. Lula dependerá de recursos na Justiça para conseguir concorrer. Ainda cabem recursos na própria segunda instância e, depois, se for o caso, no Supremo Tribunal Federal.

A reportagem é de Guilherme Azevedo e publicado por Uol, 24-01-2018.

[Fonte: Por Guilherme Azevedo, IHU Adital, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, 25jan18]

Tienda Donaciones Radio Nizkor

DD.HH. en Brasil
small logoThis document has been published on 26Jan18 by the Equipo Nizkor and Derechos Human Rights. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes.