Información
Equipo Nizkor
        Tienda | Donaciones online
Derechos | Equipo Nizkor       

15jul14


Brasil será o segundo a presidir novo Banco de Desenvolvimento


O segundo mandato da presidência do Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) será exercido pelo Brasil. Segundo a presidenta Dilma Rousseff, o primeiro presidente da instituição será um representante da Índia, porque a ideia de criação do banco foi proposta pelo país. "Todos nos consideramos que era justo a primeira presidência ficar com o país que propôs [o banco]".

A presidência da instituição financeira, criada nesta terça-feira, 15, durante a 6 Cúpula do Brics, será rotativa entre os países membros do bloco, com mandatos de cinco anos. A sede ficará em Xangai, na China.

O primeiro escritório regional do banco será na África do Sul, a primeira direção da equipe de ministros será da Rússia e a primeira direção do conselho de administração será do Brasil. O capital inicial autorizado do banco será US$ 100 bilhões e o capital subscrito do banco será US$ 50 bilhões, igualmente distribuídos entre os cinco países que integram o Brics.

Para Dilma, a quantia estabelecida para o início das atividades do banco é bastante significativa. "Acredito que será extremamente suficiente para se dar a partida". Ela disse que Xangai foi escolhida para ser a sede por ser o centro financeiro de uma das grandes economias do mundo. Segundo a presidenta, o olhar do banco para os países em desenvolvimento será generoso. "Estamos abertos para ver como vai ser a relação com os países fora do Brics", disse.

Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, as taxas de juros da instituição ainda não estão sendo discutidas, mas serão "razoáveis" e baseadas no dólar. "Vamos fazer as exigências normais, também teremos exigências ambientais e sociais", adiantou. Segundo Mantega, a diferença ente o banco do Brics e outras instituições internacionais como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial é que o poder será dividido de forma igual entre os membros do grupo. "A presidência não tem a menor importância, mas sim, o controle acionário, que é dividido por igual entre os cinco países", disse.

O ministro explicou que o Novo Banco de Desenvolvimento complementa o FMI e Banco Mundial, que hoje não têm reservas suficientes. "Não há financiamento suficiente para os investimentos necessários nos países emergentes e nos países avançados. O Banco Mundial não tem condições de viabilizar o financiamento para grandes projetos de infraestrutura que os países querem fazer", ponderou.

[Fonte: O Povo, Agência Brasil, Fortaleza, 15jul14]

Tienda de Libros Radio Nizkor On-Line Donations

Informes sobre DESC
small logoThis document has been published on 16Jul14 by the Equipo Nizkor and Derechos Human Rights. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes.